Nota de esclarecimento: Ponte sobre o rio Gilão

Dado o interesse em torno da construção da nova ponte sobre o rio Gilão, vimos pelo presente informar quais as diligências tomadas pelo Município de Tavira, ao longo dos últimos anos, para a concretização desta empreitada, assim como relembrar a divulgação efetuada acerca desta intervenção.

Após mais de duas décadas, a designada ponte “provisória ou militar” tornou-se uma necessidade para a cidade. Consciente dessa importância, a autarquia abriu procedimento para a elaboração do projeto de execução e foram convidadas a apresentar proposta 7 entidades, tendo vindo a ser adjudicado, à empresa A2P Consult – Estudos e Projetos, Lda., pelo valor de €31.970,01 + IVA, a elaboração do projeto de execução. Este projeto foi, durante o seu desenvolvimento, objeto de apreciação e parecer da APA – Agência Portuguesa do Ambiente, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, da Docapesca e do Ministério da Defesa - Capitania do Porto de Tavira, tendo obtido pareceres favoráveis.

O avanço desse projeto foi noticiado, no site, nas redes sociais e na comunicação social, em março de 2016, assim como nas edições de janeiro de 2016 e 2017 da revista municipal. Nesta última publicação, a edilidade deixou clara qual a solução pensada e informou tratar-se de uma estrutura de betão, assente em dois pilares, face à distância entre as margens. Frisou, ainda, a vontade de manter aberto o trânsito automóvel, tornando-se urgente a sua substituição por uma estrutura definitiva que garanta as condições de segurança dos utentes.

O processo de construção de uma ponte com estas caraterísticas e a necessidade de circulação de automóveis ligeiros, num único sentido, foi comunicado, desde a primeira hora, podendo não obstante, como já acontece, a circulação ser restringida por alguns períodos de tempo, atendendo à realização de iniciativas que o justifiquem.

Desde 2016 até ao presente, foi referida e divulgada, nos stands das festas e feiras de Verão nas diferentes freguesias do concelho, a intenção do Município de trabalhar para levar por diante esta obra. Também os programas eleitorais do atual executivo integraram a decisão de substituição da ponte, tendo-se iniciado, em 2014, a tramitação necessária à sua edificação.

Em janeiro de 2018, o executivo promoveu uma sessão de apresentação do projeto, com a presença do responsável pela sua elaboração, Engº Júlio Appleton, destinada aos autarcas do concelho (membros da Assembleia Municipal, nos quais se incluem os Presidentes de Junta de Freguesia), onde foi explicado detalhadamente a preocupação com a estética, a funcionalidade e o enquadramento com a envolvente.

Já em março deste ano, foi publicada, na nossa página oficial de Facebook, a celebração do contrato com a empresa Tecnovia – Sociedade de Empreitadas, S.A., pelo valor de €1.472.334,10 + IVA e um prazo de execução de 500 dias, o qual viria a ser visado pelo Tribunal de Contas, em 05 de agosto.

O desenho da nova ponte corresponde a uma reinterpretação contemporânea das construções formais existentes no local. A infraestrutura que começa, agora, a nascer caracteriza-se pela simplicidade, leveza e qualidade de acabamentos.

A autarquia agiu com toda a transparência, e esta intervenção, em conjugação com outras obras realizadas recentemente e a futura requalificação das margens, cujos projetos se encontram ainda em execução e visam privilegiar a circulação pedonal, as bicicletas e outros modos suaves, irão beneficiar e valorizar a zona nobre da cidade.

Tags: